@
Mas é que contigo,
eu floresço até
no inverno.
Manuscrituras, para Deus 
Você sabe que vai ser sempre assim. Que essa queda não é a última.
Caio Fernando Abreu. 
Sou uma pessoa boa, eu sei disso, mas nem sempre me sinto bem nessa roupagem. É como se, na verdade, eu tivesse fracassado como vilão.
Gabito Nunes.
Isso já está me torturando, eu procuro você em cada canto.
Seu Efeito Colateral.
Você merece tanta felicidade, sabe? Merece ir dormir na tranquilidade e acordar com um sorriso porque está vivendo a melhor época da sua vida. Você merece pessoas verdadeiras, amigos mais próximos e gente desinteressada. Você merece leveza na alma e paz no espírito. Você merece tudo isso de verdade e rezo por você todas as noites, rezo para que tudo isso aconteça logo.
Cartas para Julieta.
É que eu gosto do riso de tudo. De flores. De gente. De bichos. Dos dias de céu azul lisinho. Das noites carregadas de cachos de estrelas. Da canção que as ondas cantam quando tocam a areia. Às vezes, eu vejo até o riso contido do que não tem coragem de rir.
Ana Jácomo. 
Eu brinco mesmo. Faço graça mesmo. Falo merda mesmo. Sou idiota mesmo. Adoro fazer as pessoas sorrirem, mesmo eu não estando bem.
Desconhecido. 
Fazer de conta que nada aconteceu? Isso não é comigo, me feriu, me magoou, me quebrou por dentro. Não vou esquecer, amor não pode ser construído na base do esquecimento de erros absurdos.
Caio Augusto Leite.
Você partiu e a casa ficou no mais completo silêncio. Só se ouve o barulho mecânico das teclas do computador… Sou eu aqui digitando mil mensagens que não terei coragem de enviar.
Caio Augusto Leite. 
Eu sei que tenho um turbilhão de defeitos. Mas olhe para mim, eu estou tentando acertar. Estou tentando de todas as maneiras te mostrar que eu não posso mais viver sem você.
Restos de um naufrágio.
E mesmo se eu engolisse a galáxia inteira, ainda não me saciaria. Acho que preciso de algo mais forte. Daquele clichê do tipo eu e você. Juntos, aqui, agora.
Manuscrituras 

O relógio não me maltrata mais.

Então me abraça forte.